09 de Dezembro de 2018 | 22:04

Campo Grande, MS °C
-->
Noticia de: 04 de Janeiro de 2018 - 09:16
Fonte A - A+

Medidas em vigor ajudam população a diminuir gastos com energia e água

Tarifa branca pode beneficiar 100 mil consumidores em MS

Duas medidas que entram em vigor este ano podem ajudar a população a cortar gastos em duas contas básicas. Em Campo Grande, a tarifa mínima da água atinge cerca de 150 mil imóveis a partir de fevereiro. Em outra situação, a tarifa branca pode beneficiar 100 mil consumidores de energia em Mato Grosso do Sul, porém, é preciso ficar atento às regras.

Cerca de 10% dos consumidores de Mato Grosso do Sul poderão aderir ao novo regime de cobrança na conta de luz. A estimativa é da concessionária de energia elétrica Energisa.

De acordo com a empresa, aproximadamente 100 mil unidades consumidoras de baixa tensão (residências e comércios) apresentam consumo médio igual ou superior a 500 quilowatts hora e se enquadram no perfil da primeira etapa de transição. O novo regime também pode ser solicitado para novos consumidores, independentemente da faixa de gasto.

A tarifa branca é uma nova opção de cobrança que dá ao cliente a possibilidade de pagar valores diferentes de tarifa em função da hora em que consome energia elétrica. A medida – aprovada no ano passado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) – não será obrigatória e vai beneficiar, principalmente, quem conseguir adequar o seu consumo, reduzindo o uso de energia no período de pico e priorizando o uso em horários alternativos.

 

Com relação à redução da tarifa mínima de água e esgoto, essa medida atinge cerca de 150 mil imóveis de Campo Grande, metade dos 300 mil atendidos pela Águas Guariroba. O novo valor terá impacto nas contas referentes ao mês de janeiro, devido ao decreto 12.344/2017, em vigor desde a última terça-feira. 

Conforme a determinação da prefeitura, parte dos campo-grandenses pagarão 50% menos sobre o valor atual de R$ 75, que corresponderá a um consumo de 5 m³. A partir de 2019, a cobrança será pelo total consumido e não haverá mais pagamento mínimo.

O cálculo para cobrança considera a tarifa de R$ 4,41 para a água, somada à tarifa de esgoto de R$ 3,09. O total desta soma é multiplicado atualmente por 10 m³, valor que será alvo da redução. 

Fonte: Correio do Estado

social aqui