25 de Setembro de 2018 | 17:45

Campo Grande, MS °C
-->
Noticia de: 11 de Setembro de 2017 - 10:19
Fonte A - A+

COM MÉDIA DE 65 TENTATIVAS POR MÊS NA CAPITAL, SUICÍDIO AINDA É TABU QUE PRECISA SER ENCARADO

O objetivo da campanha é sensibilizar os profissionais da saúde quanto a importância do acolhimento humanizado às pessoas com comportamento ou ideação suicida e informar os usuários sobre os riscos e sinais de alerta.

Campo Grande registrou nos últimos seis anos uma média de 65 tentativas de suicídio por mês, o que equivale a 4.892 casos, segundo levantamento do Núcleo de Prevenção às Violências e Acidentes e Promoção à Saúde (NPV). Os números integram uma triste e assustadora estatística que comprovam que o assunto, apesar de ainda ser tabu, deve ser encarado de frente como um problema de saúde pública.

Diante deste cenário, a Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) tem promovido diversas ações e iniciou nesta semana a campanha de combate e prevenção do suicídio, em alusão ao “Setembro Amarelo” e paralelamente desenvolve outros trabalhos e, inclusive, instituiu este ano o 1º Programa Municipal de Prevenção ao Suicídio.

O objetivo da campanha é sensibilizar os profissionais da saúde quanto a importância do acolhimento humanizado às pessoas com comportamento ou ideação suicida e informar os usuários sobre os riscos e sinais de alerta.

Familiares, amigos, professores e colegas de trabalho podem ajudar a identificar sinais que exigem atenção.

SINAIS DE ALERTA

  • Histórico de conflitos familiares e/ou amorosos
  • Sentimento de abandono/solidão
  • Perda de interesse em atividades que antes traziam prazer
  • Perdas recentes (familiares, relacionamento, amoroso, emprego e etc).
  • Não conseguir assumir responsabilidades diárias
  • Adotar comportamento de risco (consumo de álcool ou outras drogas).
  • Abandono de amigos e/ou atividades sociais
  • Estado emocional instável (agitação, irritabilidade, impulsividade)
  • Ter pensamentos suicidas

FRASES DE ALERTA

  • Eu não aguento mais
  • Eu não posso fazer nada
  • Os outros serão mais felizes sem mim
  • Eu preferia estar morto
  • Eu sou um perdedor e um peso para os outros
  • Queria dormir e nunca mais acordar
  • Ninguém gosta de mim
  • Tudo o que eu faço está errado

ATITUDES QUE PODEM SALVAR VIDAS

  • Escute
  • Apoie
  • Ame
  • Acolha
  • Não ignore
  • Não julgue
  • Não critique
  • Cuide
  • IMPORTANTE
  • Não é drama
  • Não é para chamar a atenção
  • Não é frescura
  • É um pedido de socorro
  • Não Negligencie um pedido de ajuda!

FORMAS DE AJUDAR PESSOAS EM RISCO

  • Entender que a pessoa em risco de suicídio pode estar doente ou em sofrimento
  • Conversar com a pessoa sobre seus sentimentos, não deixá-la sozinha
  • Não permitir o acesso a medicamentos, substâncias tóxicas, objetos perfurocortantes, armas de fogo ou qualquer meio que possibilite o suicídio.
  • Encorajar a pessoa a procurar ajuda profissional
  • Tentar perceber se existe um plano de suicídio
  • Tentar estabelecer uma relação de confiança
  • Escutar sem julgar ou criticar
  • Diante da suspeita ou revelação sobre a intenção do suicídio, ligar para o 192 ou procurar as unidades de saúde 24 horas (UPA ou CRS).

ONDE PROCURAR AJUDA?

Na rede de saúde do SUS: Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), serviços de urgência e emergência (CRS ou UPA), Unidades Básicas de Saúde (UBS) e Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSF).

As UBSs e UBSFs podem fazer a avaliação, acompanhamento e os encaminhamentos necessários.

Disque 141 ou (67)3383-4112 ou 3383-4113 (GAV) Grupo de Apoio a Vida – antigo CVV.

PROGRAMA DE PREVENÇÃO AO SUICÍDIO

Campo Grande é a primeira Capital do Centro-Oeste a contar com um Programa Municipal de Prevenção ao Suicídio. O acompanhamento é feito duas vezes por semana (terça e quarta-feira) por uma equipe multidisciplinar, composta por médicos e psicólogos.

O programa é voltado às pessoas que eventualmente tenham um histórico (registro) de tentativa de suicídio.

O serviço funciona dentro do Núcleo de Saúde Mental do CEM, que fica localizado na localizado na Travessa Guia Lopes S/N – Bairro São Francisco. As consultas acontecem as terças e quartas-feiras, mediante agendamento.

NÚMEROS PREOCUPANTES

O Brasil é considerado o oitavo país do mundo em números absolutos de suicídio. A médica registrada é de 31 óbitos por dia, sendo a terceira maior causa de morte. O que chama atenção é que 30% dos casos acomete a população jovem.

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), no mundo, são registrados cerca de 2 mil suicídios por dia,  um a cada 40 segundos. Estima-se que para cada suicídio registrado há mais de 20 tentativas.

Conforme a OMS, até 2020, a estimativa de aumento na incidência anual de mortes por suicídio é de 50% e segundo a Associação Brasileira de Psiquiatria, o total de mortes por suicídio já supera a soma das mortes advindas de homicídio e guerra.

PROGRAMAÇÃO (Setembro Amarelo – mês de prevenção ao suicídio).

Dia 11/09

8:00h  – Abertura da Campanha da UBS lar do Trabalhador

Público alvo: Trabalhadores de saúde e usuários do SUS

DIA 11/09 –

19h –  Palestra  sobre a vigilância das autoagressões e a importância da Rede de Cuidado e Proteção  a Pessoa com comportamento ou ideação suicida.

Público alvo:  acadêmicos do curso de técnico  de enfermagem e de enfermagem  da Universidade ….

DIA 15/09

8:30 Ação  educativa na  UBS Tarumã

Público alvo: profissionais  e usuários do SUS

DE 11 A 30/09 – Distribuição  dos materiais educativos para todos os Distritos Sanitários de Saúde e rede de CAPS  para a realização das ações educativas  nas unidades de saúde da atenção básica e Rede de CAPS.

social aqui